quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Sol

Um feixe de luz,
intensidade média.
O teu olhar
a cruzar-se no meu.
Farol que ilumina
o caminho.
Bifurcação,
encruzilhada.
Mas tenho-te
a dares-me a mão.
Num rasgo de cumplicidade
deixamos a noite,
as estrelas,
para um brilho maior
que se avista ao longe.
deixamos as árvores,
tomar as nossas coisas.
e deixamo-nos ficar
mais um dia,
sem perguntas ou razões.
Porque a única razão
és tu.

Sem comentários:

Enviar um comentário