domingo, 16 de maio de 2010

tecla branca, tecla preta


Uma tecla, um som.. Talvez uma nota desafinada.

Sem melodia ou sentido.

Não fossem as teclas que variam os tons, as sustenidas, que sustêm sentidos. Sentidos, direcções.. ou interpretações de conceitos definidos por nós e pela nossa percepção. Nada nos garante que a definição esteja certa. Afinal não passa disso, uma definição.

Uma tecla tão insignificante, mas sem a qual o todo ficaria quase sem significado; diminuido, sozinho.

É por isso que ignoramos o que nos parece pouco ou pequeno. Mas quando percebemos que essa fracção nos falta, que precisamos daquela tecla para tocar a música, apercebemo-nos do quanto tudo é relativo e aprendemos a dar valor a tudo o que é pormenor e nos rodeia.


12/05 .. esse mês de Maio!

Sem comentários:

Enviar um comentário