terça-feira, 7 de dezembro de 2010

mix de músicas e escritas..

"Sou a mariposa bela e airosa que pinta o mundo de cor de rosa". O mundo de sonhos que se enquadra no imaginário de arco-iris e cores fortes. Combóios de caleidóscopios e bombons para cães. Um piano do qual sai uma música indefinida que nos faz dançar freneticamente...
"És um marujo da banheira.. já se vislumbra uma desgraça.. és um patinho de borracha" . És um boneco de neve mascarado de fantoche, um espanta-espíritos boneco de porcelana e não é por isso que deixo de gostar de ti. E esse teu chapéu de palha mais faz lembrar um espantalho. És bonito por dentro e isso é o que mais importa!
Um gira discos que gira. No relógio já marca a hora do nosso encontro. Sinto borboletas no estômago e flores na barriga.. " A noite vinha fria negras sombras a rondavam". O frio gélido do vento penetrava-me os ossos , mas o calor do nosso encontro superava-o. "e acaso nos tocar o azar, o combinado é não esperar, que o nosso amor é clandestino".
"Anda, desliga o cabo que liga a vida a esse jogo. Joga comigo um jogo novo" .. Porque afinal a vida é um jogo em que o fim é a morte. Nela passamos várias etapas, cada uma mais dificil que a outra, mas os bónus são cada vez maiores e melhores. E é isso que nos faz acordar cada dia e darmos graças por estar vivos... " Sai de casa vem comigo para a rua, que essa vida que tens,por mais vidas que tenhas é a tua que mais perde se não vens!"
Mas há dias de chuva e vento em que acordamos sem vontade. Dias em que as torradas saem queimadas e o dia simplesmente não parece dia, dias cinzentos, sem cor. Dias sem beijos debaixo de chuva, sem danças e movimentos que façam o dia valer a pena. " Um passo em frente dois atrás". Dias em que o caminho se faz como o caranguejo, para trás... "Não te quero dar mais esperança" Dias em que amores são terminados... " Mas se tu dançares comigo, e aos meus passos dares sentidos não me alegras mas conquistas" .. Mas se na dança do adeus nos envolvermos, a despedida não é tão dolorosa, o movimento embala-nos em sonhos passados e presentes.. em que o dia já tem mais cor e felicidade.
"Tu não tens a noção de mim. Quantas vezes queres e não tens ?"
O querer é tão forte que nos embala numa espiral impossível. O problema é não termos noção dos outros que nos envolvem neste jogo da vida. Gostar dele é tão dificil, e tão impossivel que nem vale a pena querer tanto o querer, é preciso parar o querer que queremos?
"Ele passou por mim e sorriu, e a chuva parou de cair" . No instante em que ele me olhou foi como se um super guarda chuva se pusesse em cima de nós. Tudo parou. Apenas estávamos ali os dois. O entulho saiu dos lagos, e os graffitis sairam das paredes. Aquele bairro urbano tornou-se num bosque onde os pássaros cantaram e as flores despontavam. As folhas de multiplas cores caiam sobre nós e no metro apertado o ar fluia colorido e cheio de cheiros a bagas silvestres. O puto do cão com o seu acordeão fez a música entrar no metro no qual todas as pessoas dançavam. Afinal estávamos num baile todos vestidos a rigor. E dançámos os dois. Foi bonito e inesquecível. O que o amor faz....


Texto elaborado com excertos de músicas de Deolinda.

1 comentário: