quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

voar

Por uma única vez só, apetece-me hoje tirar os pés da terra e entrar no mundo onde a magia impera. Soltar-me e dançar com o vento, deixar a música entrar em mim e voar.
A imaginação salta-me na cabeça. Constelações de alfabeto, noites escritas a giz, pastilhas elásticas de aniversário e domingos de futebol.
Encaixo-me na gaveta dos sonhos, perfeito encaixe,como puzzle por terminar. Com mil peças, retalhos de coisas que se juntam e formam uma só. Como eu gostava de ser contigo, um puzzle que se une e forma um só.
Já dentro da gaveta, onde apenas se sente o calor da noite e o vento não chega deparo-me com a Lua.
"Olá."
Que bom que era se ela me desse um pouco do seu brilho. Nunca sonhei ser estrela, mas sempre gostei de brilhar. Sem resposta, continuei a vaguear pela gaveta, até que acordei, mas com mais brilho. Afinal a Lua lê os pensamentos.

Sem comentários:

Enviar um comentário